terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Os enganos esverdeados ... aniversário sem água nem vinho verde/tinto... e jantar a lembrar um velório




Dizem as línguas vesperinas que os lagartos depois de deixarem escapar o Carrilho para o Glorioso  Benfica, logo trataram de comprar o passe de um outro jogador.

Era para comprarem o italiano EntreosRios, ou o colombiano RioDescarrilhado, quiçá o brasileiro RioGrande. Só que Jorge Jesus, conhecedor da longa abstinência de títulos no que concerne ao campeonato Nacional, ter-se-á lembrado que aquele clube já anda há 13/14 anos a ver NAVIOS e vai daí nem querer ouvir falar em Rio(s) e anuiu em se comprar um Barco(s), pois sempre era um nome menos pomposo.

Dizem que esse Barco(s) já estava há algum tempo ancorado sobre uns terrenos baldios junto ao um Rio desconhecido e daí precisar de recauchutagem. Começou pelo nome. Deixou de ser o BARCOS e passou a BARCO.

Quis o destino que o 1.º jogo do novo BARCO fosse contra um RIO (Ave). Esse, sentindo-se como BARCO na água, chegou-se à frente, junto da baliza do Rio (Ave) e apareceu-lhe um jogador daquele clube, que o BARCO terá confundido com um Navio e vai daí, agarrá-lo pela PROA e puxando-o, ter-lhe-á dito: Sai daí seu Navio, agora é a vez de passar o BARCO.

Claro que a bóia - leia-se bola - qual água escorregadia, entrou na margem do Rio - leia-se baliza - mas o árbitro, qual surfista,  que não quis meter Água, nem ficar a nadar em ondas alteradas,  anulou o lance de imediato, ficando assim, mais uma vez um BARCO à deriva.

Bruno de Carvalho fez ontem 44 anos. Num jantar que se seguiu ao términos do jogo, dizem que tinha ao cimo do bolo - um estádio de futebol comparado ao do Sporting - três velas. Dois quatros e no meio um 1...Claro que estava tudo preparado para a festa. Só que, terminado o jogo, retirou ou mandou retirar - sabe-se lá - o número 1. 

Ainda ninguém percebeu a razão, pois não houve direito a perguntas, nem explicação no local e/ou inclusive no FACEBOOK, mas será que queria dizer 1.º lugar? 

O certo é que o jantar onde esteve Jorge Jesus e um Óctavio, dizem não ser PATO - lá está para não ser lembrado nenhum Navio ou BARCO - notando-se a falta de um tal Pina, ou um tal Inácio, ou um tal José Eduardo, ou sua excelência o bem falante Rogério Alves, ou outros acérrimos defensores da mesma cartilha, que estudam e decoram antes de irem para os programas de debate desportivo, ou até algum jogador do Sporting. Um BARCO(S), por exemplo.

O que era para ser um jantar de alegria onde o bom vinho VERDE enchesse os copos, bebeu-se Sumo de Amora Negra, pois ÁGUA nem pensar, parecendo até que o jantar era um ... velório.
É o que dizem. Eu nem estive lá...

Há coisas fantásticas não há?
.

7 comentários:

  1. Sim: Há coisas fantásticas!!

    Eu acho que o lagarto gordo, nem jantou...Ele a sua comandadita foram de barco para o muro de lamentações. Hoje nos desfiles rolam melões gratuitos...

    Muito, mas muito bom este artigo. Adorei a ironia,

    VIVA O BENFICA

    ResponderEliminar
  2. Ironia feita perfeição que muito me fez rir. Foi um jantar amargo, lool

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Muito engraçado este post :) Quem sabe se com esta contratação não vão mesmo de barco. A primeira viagem já começou, eheh!
    Saudações Benfiquistas!

    ResponderEliminar
  4. Que o rumo deste barco, seja a boca do inferno.

    ResponderEliminar
  5. Ri a bom rir com o post. Acho mesmo que aconteceu isso tudo. As coisas não estão a sair bem lá para os lados do Campo Grande. Ovque já se devem ter arrependido!
    Carrega Benfica!Nós dizemos PRESENTE!

    ResponderEliminar
  6. Atenção que este Barcos é bom jogador. Só espero que não seja um Jonas.

    ResponderEliminar
  7. Águia de luz, posso pedir-te que coloques o link do meu blogue na secção "Outros blogues a visitar"? Abraço e obrigado


    - O Sonho de Damião -
    https://osonhodedamiaoblog.wordpress.com/

    ResponderEliminar